25 de novembro, dia internacional de combate à violência contra as mulheres

pactu<em>noticia</em>28112012_145058

No dia 25 de novembro, é comemorado o dia internacional de combate à violência contra as mulheres. A data foi estabelecida em 1981, no 1º Encontro Feminista Latino Americano Caribenho, em Bogotá e foi uma homenagem às três irmãs Antônia, Minerva e Patria Mirabal, moradoras da República Dominicana, assassinadas no dia 25 de novembro de 1960, na época do regime do ditador Rafael Trujillo. As irmãs formavam o grupo Las Mariposas, grupo de oposição ao regime do ditador, sendo esta apontada a maior causa de suas mortes.

A violência contra as* mulheres, está longe de ser um problema cultural, de uma região ou de um país isoladamente e tem origem na discriminação persistente que existe contra as mulheres, através do *machismo. São várias as formas de violência contra as mulheres ? física, sexual, psicológica e até econômica. Estas formas de violência se inter-relacionam e afetam as mulheres desde antes do nascimento até a velhice e são um problema crônico da sociedade que enfraquece não somente as mulheres que a sofrem, mas também suas famílias, comunidades e seus países.

violenciaAs estatísticas da violência contra as mulheres, infelizmente mostram números assustadores e referem-se somente às denúncias feitas, pois várias mulheres que sofrem ou sofreram algum tipo de violência, sequer têm coragem de denunciar o agressor, que muitas vezes é um vizinho, parente ou até mesmo o próprio pai.

Uma das grandes conquistas das mulheres contra a violência, foi a Lei Maria da Penha, que ampara as mulheres vítimas de violência, enquadrando e punindo os agressores. Entretanto se não houver uma maior conscientização, por parte das mulheres violentadas , no sentido de denunciarem seus agressores, a lei de nada adiantará.

A luta das mulheres de movimentos sociais é antes de tudo pela conscientização do combate a todo tipo de violência; doméstica, igualdade social respeito e garantia de vida. E para  que a mulher vítima de violência não se cale e denuncie, pois só assim conseguirá dar o primeiro passo rumo à sua libertação.

logo-mulheres-final