A cerveja como ela é...

A cerveja, assim como o vinho, nasceu de um milagre! Vamos colocar nossa imaginação pra funcionar. Então imagine um cesto de grãos deixado ao tempo. Choveu e os grãos ficaram todos submersos por esta água. Pois bem, em pouco tempo todo aquele amido contido na semente se transformou em açúcares que servem para alimentar o broto, e os grãos começaram a germinar.

Agora imagine que, no ambiente, encontramos muitos micro-organismos em suspensão no ar e sobre todas as coisas, entre eles, as leveduras que pousaram nesta ?sopa? nutritiva e passaram a fermentar. O resultado da fermentação é sempre gás carbônico e álcool, além de outros subprodutos que variam de acordo com as leveduras que entram em ação. Alguém provou aquela poção e evidentemente os efeitos do álcool foram sentidos. Eureka! Cerveja!

Para se produzir a cerveja como ela é hoje precisamos de água, malte, leveduras e lúpulo. Existem cervejas que tem em sua composição ingredientes extras, assunto que iremos tratar mais adiante, mas todas as cervejas levam estes quatro ingredientes básicos.

A questão é que quando a cerveja foi ?descoberta? o homem nem sonhava que poderia haver neste grande mistério um ser vivo unicelular que se alimenta dos açúcares e produz como resultado álcool e gás carbônico.  Logicamente este mistério foi atribuído a algum deus. O fato é que por séculos o homem produziu cervejas sem sequer saber de onde vinha aquele milagre.

Foi Louis Pasteur, quem descobriu e estudou as leveduras, o que possibilitou que o homem passasse a produzir cervejas com leveduras selecionadas.

As cervejas da família Ale (lê-se ?eiol?), tem seu processo de fermentação entre as temperaturas de 15 e 24 graus Celsius e é bem visível atuando no topo dos tanques, por isso conhecidas como leveduras de alta fermentação.

As cervejas da família Lager (lê-se ?laguer?) nasceram na Alemanha. O processo de fermentação dessas cervejas ocorre a temperaturas entre 6 e 12 graus Celsius e as leveduras atuam com mais vigor no fundo dos tanques. São conhecidas popularmente por leveduras de baixa fermentação.

Com relação as Lambics, são originalmente a família de cervejas cuja fermentação ocorre através das leveduras selvagens, presentes em suspensão no ambiente. Hoje em dia, a palavra Lambic foi classificada com o selo DOC (Denominação de Origem Controlada), uma vez que agora só podemos chamar de Lambics as cervejas produzidas na região de Pajottenland e de Bruxelas na Bélgica. As demais fermentadas por leveduras selvagens são agora chamadas de Sour Beers, que significa cervejas azedas? hummmm!

Acompanhe nossos posts semanais e saiba mais sobre cervejas!!!

Cheers!!!