A culinária japonesa como patrimônio cultural

tendai-69

A culinária japonesa é uma das mais apreciadas mundialmente, e nas últimas décadas vem se espalhando por diversos países, sendo considerado sinônimo de alimentação saudável e natural.

Somente em São Paulo e Nova York, duas grandes metrópoles mundiais, a quantidade de novos restaurantes japoneses aumenta a cada dia. Empresários do setor estão investindo alto nesse filão, pois nos últimos anos, a preocupação com os altos índices de obesidade da população das grandes cidades, vem fazendo com que os governos locais intensifiquem campanhas de orientação em relação à alimentação saudável e a pratica de atividades físicas constantes.

Pensando nisso, o Japão busca junto a Unesco, o  reconhecimento da culinária do país como herança cultural intangível, uma designação concedida a apenas quatro regiões. Caso seja concedido, o reconhecimento deve elevar o perfil da culinária japonesa em nível global, após a popularização das iguarias do país nas duas últimas décadas.

O patrimônio ou herança cultural de uma nação são divididos em tangíveis e intangíveis. Os tangíveis são as cidades, ruas e monumentos que necessitam ser preservados, porque trazem em si toda a história e toda memória de um povo. Os intangíveis são as manifestações culturais de um povo, suas danças, costumes, artesanato e culinária que são transmitidos de geração em geração, proporcionando um sentido de identidade e continuidade, promovendo assim o respeito pela diversidade cultural e pela criatividade humana.

Um subcomitê da Unesco deve fazer suas recomendações no começo de novembro. Caso sejam positivas, é bem provável que a decisão final, em dezembro, seja favorável ao país.

Embora alguns críticos enxerguem outras motivações por trás do pedido japonês, como o aumento de exportações de alimentos de qualidade, uma autoridade japonesa diz que há outra questão em jogo: a segurança alimentar.

A intenção é aumentar a conscientização sobre os alimentos utilizados e a forma correta do preparo, pois existem muitas variações de país para país acabando por descaracterizar o prato.

Em 2012, o Japão produziu apenas 40% dos alimentos consumidos domesticamente, de acordo com dados do Ministério da Agricultura do país. O porcentual é relativamente pequeno se comparado ao de outros países ricos. Nos EUA e na França, a produção de alimentos corresponde a mais de 100% do consumo doméstico.

Embora nunca tenha sido um exportador de alimentos, o Japão produzia quase 80% do que era consumido no país há cinco décadas. Enquanto restaurantes no exterior passaram a servir cada vez mais pratos da culinária japonesa, no Japão a dieta da população passou a incluir pratos estrangeiros.

Desde o lançamento da lista de herança cultural intangível da Unesco, em 2008, foram incluídas apenas as culinárias francesa, mediterrânea, turca e mexicana.