AMIGOS DE VERDADE

Primeiramente, que fique claro: Detesto esse papo de amigo DE VERDADE? Pra mim, quem tem a necessidade de nomear sentimentos é raso demais. Sobretudo, quando se trata de amizade. Afinal elas tem tantas cores, dores e sabores, que me parece covardia dizer que um amigo é verdadeiro e outro não.

A gente tem o amigo certo para as horas incertas?  Existe um determinado momento em que você precisa especificamente de um amigo e só ele serve.

Tem aquele amigo para rir, o para chorar, o para confidenciar, o para tomar vinho e o para tomar tequila. Tem o amigo para ir ao cinema ou ouvir música. Tem o ombro mais amigo, o colo mais aconchegante, a língua mais afiada, a voz mais dura e a mais meiga, o que combina com você até no jeito de se vestir, o que não se parece em nada com você. O que trabalha contigo? Amigo de infância, de faculdade. Amigo cão, ou gato?

E o que dizer daqueles amigos que a vida se encarregou de afastar, que passamos anos sem sequer falar ao telefone e que ainda assim a confiança segue inabalável?

E os amigos de sangue, primos, irmãos, pais, tios, avós?

E o desconhecido que durante algumas horas age como se fosse um velho amigo?

Por isso acredito que a amizade não se mede com réguas, nem por tempo, mas sim por atitudes.  A amizade se prova, depende de ações, não fique aí parado, querendo um amigo verdadeiro, prove de várias amizades.

E lembre-se: amigos vão decepcionar você, afinal somos humanos, carregadinhos de defeitos, mas a amizade é sempre maior e não só aquelas que pensamos ser ?verdadeira?, acredite nas pessoas! Faça amigos, aqui e ali, homens ou mulheres, velhos ou crianças, ricos ou pobres, bonitos ou feios? Se houver um gesto de amizade, haverá verdade, sempre