As apostas para o Rio Open de Tênis

Programa imperdível para os cariocas amantes do esporte é o Rio Open de Tênis (ATP 500) que acontece de 15 a 23 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, principalmente após a confirmação da participação do líder do ranking da ATP, o espanhol Rafael Nadal, depois de rumores de que ele não viria mais ao Rio, gerados pela desistência do atleta em participar do torneio de Buenos Aires por conta de um vírus estomacal, além do fato de que o tenista número um do mundo não está completamente recuperado de dores nas costas.

No circuito mundial de tênis as competições ATP 500 só perdem em importância para os torneios Grand Slam, e por isso, além de Nadal, outros grandes nomes do esporte estarão em ação no Rio. A esquadra espanhola vem em peso com seus principais tenistas, e são os favoritos para levar para casa a maior parte do prêmio de US$ 1,5 milhão que o torneio vai distribuir. São eles David Ferrer (5º colocado do ranking da ATP), Tommy Robredo (16º) e Nicolas Almagro (18º).

Nadal, que também joga poquer, é a principal aposta do ATP 500 do RioNadal, que também joga poquer, é a principal aposta do ATP 500 do Rio

É bom ficar de olho também no italiano Fabio Fognini, número 15 do mundo, e nos argentinos Juan Monaco, que já foi TOP 10, e Federico Delbonis, que eliminou o ex-campeão Roger Federer na final de Hamburgo. Correm por fora, ainda, o francês Jeremy Chardy e o ?showman? ucraniano Alexander Dolgopolov.

Thomaz Bellucci, faz pouco tempo o melhor tenista brasileiro, anda com a bolinha murcha e participará por convite, já que não teria ranking para disputar a chave principal. Hoje Bellucci é apenas o número 125 do ranking e sua fase é péssima, tendo sido eliminado na partida de estreia do último torneio que participou, em Buenos Aires, ao deixar a quadra por conta do calor.

As esperanças no Brasil estão nas duplas, onde temos dois tenistas entre os melhores do mundo. Sem os irmãos Bryan, americanos líderes do ranking, o favoritismo recai sobre o brasileiro Bruno Soares, que faz com o austríaco Alexander Peya a parceria vice-campeã do US Open e atualmente figura como a segunda melhor dupla da atualidade. Bruno se preparou especialmente para jogar a competição no Jockey Club Brasileiro, chegando mais cedo do que os demais concorrentes para uma melhor ambientação.

Número 5 do mundo nas duplas, atrás apenas dos tenistas citados acima, o brasileiro vice-campeão de Wimbledon, Marcelo Melo, se preparou para a competição do Rio jogando na temporada indoor da Europa com Ivan Dodig, mas seu parceiro no torneio carioca será o espanhol David Marrero.

Os brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares, são favoritos com suas duplasOs brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares são favoritos com suas duplas

A chave feminina do Rio Open, não promete muito. Nenhuma das 30 melhores tenistas do ranking da WTA estará presente, alçando a campeã de Roland Garros em 2010, a italiana Francesca Schiavone, ao posto de grande atração do torneio entre as mulheres.

Os preços dos ingressos variam entre R$ 20 e R$ 350, sendo que as semifinais e finais já estão esgotadas. A etapa classificatória, realizada nos dois primeiros dias de competição (15 e 16 de fevereiro), tem entrada franca. Através deste qualifying, quatro tenistas da ATP e seis jogadoras da WTA ganharão vagas na chave principal do torneio. Cada tenista precisará vencer dois jogos para avançar e o brasileiro João Souza, 117 do mundo, é nosso único representante nesta etapa.

O nome mais temido por todos no Rio Open, porém, não está no ranking da ATP nem recebeu convite: chama-se São Pedro. A previsão do tempo vem informando o fim da estiagem justamente para a semana da competição, e dependendo de como a chuva vier depois de um período tão longo de calor intenso, tudo pode acontecer, inclusive nada.