Conversando com as panelas!

Dia desses, ouvi dizer que todo chef de cozinha é temperamental e exigente demais. Pensei então na rotina deles e cheguei à seguinte conclusão: Se eles não fossem exigentes e temperamentais não estariam com aquele chapelão, não seriam líderes de uma cozinha, não teriam controle da qualidade do que eles produzem, não encantariam as pessoas ao servir algo que fica na memória de quem experimenta. Comandar uma cozinha é muito difícil e um enorme desafio, a pessoa é testada o tempo inteiro e vai do céu ao inferno, no tempo em que se frita um pastel!

Mas se cozinhar não fosse algo maravilhoso, ninguém escolheria essa profissão! E o melhor: não é preciso ser chef para passar horas maravilhosas na cozinha?

No meu caso, tenho apenas um avental, minhas colheres de pau e uma alegria imensa de estar à beira do fogão! Essa paixão começou cedo, quando eu ainda tinha 8 anos e minha avó Cecy ensinava pequenos e valiosos segredos. Um dia ela me perguntou assim: ??Você prefere colher de pau ou de inox??  Colher de pau respondi rapidamente. Então ela me disse assim: ?Nunca abandone as suas preferências na cozinha, a não ser que você conheça algo melhor. Até hoje não abro mão da colher de pau. Não deixo de ver a temperatura do óleo com um palito de fósforo, não deixo de tirar os ovos da geladeira antes de usar, muito menos de abrir um a um numa vasilhinha separada. É claro que não abro o forno antes da hora, nem deixo alguém mexer minhas panelas para não desandar? Foi assim que aprendi.

Aprendi muito sobre cozinha com outras pessoas pela vida inteira, aprendo o tempo todo e até pela internet. Quanto a ensinar, tenho um pouco de dificuldades, uso as minhas medidas próprias? Acho que cozinho ?a olho?, se o ovo é maior, mudo a quantidade de farinha de trigo.

Mas talvez no fundo seja só uma canceriana, mafiosa, que gosta de ter exclusividade sobre o preparo das receitas só para reunir os amigos em casa e depois ouvir os elogios e responder sempre da mesma forma: ?Imagine, isso aí é patifaria minha, simples, fácil de fazer! Mas quando olho no fundo das minhas panelas elas refletem a minha felicidade por ter servido algo que eu realmente sei que estava delicioso!

Bj

Mari