CUSTO ZERO, LUCRO ALTO - Final

SEGUI O CAMINHO CERTO FINAL

Lembram que parei minha história no post passado quando aceitei uma oportunidade de novo trabalho e iria ver ver se meu pai praticava o que ele me ensinava? Pois então vamos continuar nosso papo..

Se não lembra é só acessar aqui e ler a primeira parte.

A empresa que me fez a oferta de emprego ( e que aceitei) era a Seara, a mesma na qual meu pai tinha sido Diretor Financeiro por quase 18 anos. Ali aprendi de vez o que ele havia me ensinado. Era uma empresa bem maior e com muito mais pressão e cobrança, mas com um agravante para mim: a sombra do pai por todo lado. Será que ele tinha deixado inimigos? Eles poderiam me prejudicar? Bom, em alguns meses, e eu descobri que, mesmo sendo Diretor de um departamento conhecido por não fazer muitos amigos na área comercial, ele tinha sido uma pessoa boa para seus colegas, tanto de escalão mais baixo como mais alto, e mesmo depois de anos dele ter saído, ainda falavam bem dele e o quanto ele era bom para as pessoas.

Foi também quando conheci a minha Eterna Chefe (hahaha, ela odeia quando falo isso), Mercedes, que inclusive já havia trabalhado com meu pai, e me juntei com um dos melhores times que já participei (Mercedes, Rafael, Leandro, Sandra, Laercio, Luís Pedro e outros), onde cresci muito profissionalmente, com a ajuda de todo este time, e sem me preocupar com a competitividade interna, pois foram todos muito bons para mim.

E por aí vai. Em cada empresa que passei, deixei amigos e portas abertas. Claro, que o bom trabalho ajuda, mas ser boa pessoa é importantíssimo para construção do seu caráter. Passei em algumas empresas, saí e fui convidado a voltar em algumas delas, e, mesmo não possuindo um currículo escolar completo (não consegui me formar), sempre tive a felicidade de trabalhar em grandes empresas. Minhas habilidades como vendedor e o porte das empresas pelas quais passei ajudaram no meu currículo, porém tenho certeza que se não procurasse agir corretamente com as outras pessoas dificilmente eu teria sido tão bem sucedido e aceito nas empresas. Tenho certeza que mesmo nos momentos em que não se consegue uma promoção ou uma compensação financeira maior, não vale a pena agir de forma a ter seu nome mal falado pelos cantos, pois o mundo dá voltas (este reencontro com um ex-colega e o convite são exemplos disto) e, além do que, um dia pode ser meu filho que esteja no meu lugar, e ele ficaria muito chateado em escutar coisas ruins a meu respeito, como eu ficaria em ouvir algo ruim á respeito dos meus pais.

Agora, eu não considero que tenha feito nada de mais. Não estudei para ser boa pessoa, não gastei um centavo em cursos, palestras etc., ou seja, CUSTO ZERO, e qual foi meu lucro? Incalculável. Tenho grandes amigos, sou conhecido por onde passei por ser uma boa pessoa, sou amigos de amigos dos meus pais, tenho uma bela carreira profissional, conheci boa parte do mundo com ela e quero o mesmo para meus filhos. Afinal, como diz meu pai (mais um belo ensinamento dele) “quando se parte desta vida, a única coisa que você leva são os pensamentos de quem você deixou aqui.”

Bem, já que eu tive bastante lucro, quero doar o que aprendi para outras pessoas, e o Edilson, aquele que foi um dos meus primeiros amigos lá no inicio, está me dando, junto com Raciel, mais esta oportunidade, e com isto vou seguir lucrando, compartilhando o que aprendi até hoje, sempre usando a fórmula CUSTO ZERO, LUCRO ALTO.

Grande abraço a todos e até o próximo artigo!!!

Á propósito… VALEU PAI !!! VALEU MÃE !!!