Entrevista com Dr. Jaime

Presidente do Legislativo Araçatubense, Jaime José da Silva, fala sobre seu desejo de reeleiçãoPresidente do Legislativo Araçatubense, Jaime José da Silva, fala sobre seu desejo de reeleição

Em entrevista para Marco Serelepe, o Presidente do Legislativo Araçatubense, Jaime José da Silva, fala sobre seu desejo de reeleição, declara voto a Dilma, e diz que não vê um PT unido em nossa cidade.

Confira a entrevista:

Serelepe: - O senhor pretende a reeleição (à presidência da câmara)?

Dr. Jaime: – Já estou articulando. Penso que vou continuar. Quero a reeleição.

Serelepe:* – O que o senhor tem sentido dos seus colegas vereadores sobre a reeleição?*

Dr. Jaime: – Hoje nós somos no mínimo 5. Acredito que não teria nenhum problema com votos. São 7, e há outras questões com os outros dois, mas não problemas em si; nós atuamos bem, sem conflitos de interesses. Acredito que tudo foi até mesmo além das expectativas deles. Desenvolvi um trabalho que fortaleceu o legislativo, colocou o legislativo numa posição de respeito, dignidade e tudo isso faz parte de uma atuação em acordo com o que eu penso.

Serelepe: - O prefeito tem muita força no processo de eleição à presidente da câmara. O prefeito é seu aliado na reeleição?

Dr. Jaime: – Prefiro dizer que o prefeito é meu amigo. Racionalmente entende-se que nós fizemos uma boa gestão; não para “a, b ou c”, mas para a cidade.

Serelepe: - Quando o senhor foi eleito presidente da câmara, havia um consenso: Dr. Jaime fica 2 anos e, após isso, o Cido Saraiva volta. – Como é que fica essa situação? Inclusive com o Cido Saraiva talvez como candidato à prefeito?

Dr. Jaime: – Não foi nestes termos que foi colocado. Foi colocado pelo Cido Sério, prefeito, na discussão que nós tivemos à respeito deste assunto, que poderia se pensar no caso de ir um primeiro e depois o outro à presidência da câmara. Mas o Cido (Saraiva) não aceitou e quis ir para o voto. E aí foi para o voto de grupo, e nós ganhamos de 5 a 2 ou 4 a 3, não me lembro ao certo. E ficou certo entre mim e ele, diante de todas as testemunhas, que são os vereadores que haviam votado.

Serelepe:* – O senhor seria eleito hoje? Essa questão (do acordo não feito com Cido Saraiva) dificulta o seu trabalho?*

Dr. Jaime: – Dificulta. Mas tudo se resolve conversando – Vamos conversar. Se tivesse sido feito o acordo, a minha eleição seria de outra forma. Seria mais fácil. E estaria tudo certo. Mas não foi. Foi por voto. Mas nós vamos conversar tudo isso. Nós temos um bom relacionamento, não vai ser problema. E não há outro caminho para se fazer isso. Quem for o candidato com maior número de votos no grupo, é o candidato do grupo; eu penso que é a maneira mais justa de resolver isso.

"Se tivesse sido feito o acordo, a minha eleição seria de outra forma. "“Se tivesse sido feito o acordo, a minha eleição seria de outra forma. “

Serelepe: - Como o senhor analisa a pífia votação da Cidinha nesta eleição? O PT enfraqueceu?

Dr. Jaime: – Ai eu não posso avaliar, nem me intrometer, porque o problema é partidário… eu não sou do PT, sou do PTB. Mas quem não está bem é a integração das pessoas no partido. Não que escandalize, mas há um certo ruído no partido.

Serelepe: - Uma divisão?

Dr. Jaime: – Não chega a ser uma divisão, mas um descontente com o outro. Se todos juntos, fazendo força do mesmo lado já é difícil, imagina assim. Eu penso que é mais ou menos por ai. E também o grupo precisava ter olhado um pouco mais para a Cidinha.

Serelepe: - Mas o senhor também não apoiou a Cidinha.

Dr. Jaime: – Eu apoiei os candidatos do meu partido. Assim como para Senador. Do meu partido, o PTB. Você me acompanha há tanto tempo, você sabe que eu gosto das coisas certas. Eu não posso abandonar o meu partido, como é que eu vou pedir voto para o partido? É infidelidade partidária. O PT precisa se acertar direitinho para ter força. Eu vi na eleição do prefeito e até me convenci que ele iria ganhar na reeleição. Porque naquela época havia essa amizade, esse carinho, apoio entre o partido. Agora, faltando isso, fica difícil.

IMG_9936“Não chega a ser uma divisão (do PT), mas está um descontente com o outro.”

Serelepe: -* Dr. Jaime vota na Dilma ou no Aécio?*

Dr. Jaime: – Eu voto na Dilma. Mas eu quero explicar. Eu não sou PT, sou PTB. O partido até agora não me falou, não tem essa questão partidária porque o partido não orientou até agora. Então vou votar na Dilma pelo seguinte: Se fosse o Fernando Henrique Cardoso e a Dilma, eu votaria no Fernando Henrique Cardoso. Se fosse José Serra e Dilma, eu votaria José Serra. Mas é Aécio e Dilma… Aécio tirou milhões da saúde em Minas Gerais. Não dá pra pensar em alguém que tenha coragem de fazer uma coisa dessas. Isso não é possível.

Serelepe:* – O senhor acredita que a Dilma ganha a Eleição?*

Dr. Jaime: – Lógico! O Aécio não está numa crescente. Esteve. Por conta da Marina… Tem que ser o sujeito que tem que ser avaliado, não é quem apoia que vai administrar. E ele foi quem tirou o dinheiro da saúde. Eu nunca vi o Aécio na minha vida. Ele nunca prestigiou São Paulo com nada, o que é outro diferencial. Com a Dilma eu já conversei aqui, ela me falou dos projetos para Araçatuba, deu atenção para um cara que mora aqui, que ela nunca tinha visto antes. Conversou, respondeu as minhas questões. Como o Fernando Henrique fez, como o José Serra fez. Mas o Aécio eu nunca vi.