Feliz Ano Novo

No dia 1o. de janeiro de 2012, eu gostaria que o jornal trouxesse apenas notícias boas. Gostaria que a principal manchete fosse que, no dia da Confraternização Universal, os principais líderes do mundo assinaram um tratado vitalício de paz. Judeus, cristãos, muçulmanos, qualquer etnia, qualquer crença, qualquer regime político? que todos pudessem conviver pacificamente.

Seria muito bom se fosse noticiado que a fome acabou. Que não restava mais um único ser humano sobrevivendo abaixo da linha de pobreza. Que as doenças, em especial aquelas causadas pela falta de saneamento básico, haviam finalmente se tornado coisa do passado.

Na seção de política, eu gostaria de ler que todos os politicos, em especial aqueles eleitos para cargos no Executivo e Legislativo nas últimas eleições, assinaram um compromisso com a nação brasileira, garantindo colocarem os interesses do País acima de seus interesses pessoais. Que seus salários e mordomias seriam reduzidos, e que aqueles que descumprissem com a lei teriam de abrir mão de seus cargos e se afastariam em definitivo da política.

Em um mundo perfeito, a honestidade seria regra e não exceção.

No próximo dia 1o. de janeiro, eu gostaria de abrir o jornal e descobrir que foi encontrada uma solução para o efeito estufa e para a inversão térmica. E que todo o planeta estava comprometido em fazer esta ideia dar certo. Gostaria de ler que os rios estão em processo de despoluição, e que até o fim de 2011 seria possível voltar a nadar e pescar no Rio Tietê, em toda a sua extensão.

Seria incrível ler que todo óleo derramado no mar havia finalmente sido eliminado. E que diversas espécies consideradas em extinção haviam sido redescobertas em alguma ilha perdida.

Imagine só, ler que a sustentabilidade deixou de ser um conceito para se tornar uma realidade ao alcance de todos nós? Que todos os países, que todos os estados e cidades tinham um serviço eficiente de coleta de resíduos e que a reciclagem era praticada por todos, sem exceção?

Como seria bom poder ler um jornal sem encontrar apenas notícias ruins. Não que seria tudo 100 por cento, eu sei que isso é impossível e, para ser sincera, chato. Mas eu ficaria muito feliz em saber que as coisas que realmente importam no mundo estão funcionando.

Que a violência foi reduzida a um traço nas estatísticas, porque haveria igualdade social e acesso à educação e a cultura.

Muitos poderão dizer que eu estou apenas sonhando. É muito provável que sim. Mas todos os grandes feitos da humanidade começaram como um sonho, um plano considerado impossível pela maioria. Tudo é impossível, até que alguém não se deixa convencer disso, vai lá e prova que é possível.

É muito provável que eu não leia nenhuma das notícias acima nos jornais no próximo dia 1o. de janeiro. Mas eu quis reuní-las aqui para dizer que mesmo que a paz mundial ainda não seja possível, é possível que cada um de nós se esforce para viver em paz com os seus. E que mesmo que o meio ambiente não seja salvo em um piscar de olhos, que cada um seja responsável por seus atos em nome da sustentabilidade e daqueles que ainda virão.

Nós temos um ano inteiro pela frente. Uma vida inteira. Quem sabe, um dia, estas notícias não se tornam realidade? Depende de todos nós. Feliz Ano Novo a todos!

Amanda de Almeida