Gênesis I

Alguém aí já parou para pensar de onde sugiram os pratos mais famosos da culinária brasileira ou mundial?

Alguns pratos que fazem parte do cardápio dos mais sofisticados restaurantes do mundo surgiram por acaso, por descuido ou mesmo por acidente.

CARPACCIO

Carpaccio - Imagem: FlickrCarpaccio – Imagem: Flickr

Segundo nos conta o Arrigo Cipriani, neto de Giuseppe Cipriani, o prato surgiu no Harry’s Bar que até hoje é propriedade da família Cipriani na cidade de Veneza na Itália, que era dirigido à época, 1948, por Giuseppe. Uma cliente rica que por orientações médicas não podia comer carne cozida ou assada, e farta da dieta de vegetais, procurou o Giuseppe e pediu a ele um prato com carne que ela pudesse comer. Depois de pensar muito, Giuseppe preparou um prato com carne crua fatiada fina como uma folha de papel e molho. A cliente ficou com certo receio de pedir carne crua e ser tida como alguém sem classe, ou sem paladar e então tratou com o garçom que toda as vezes que quisesse comer o prato pediria por um código.

Como a cliente era uma dama da sociedade e muito gostava de pintura, resolveu apelidar o prato com o nome de seu amigo o pintor Vittore Carpaccio, cujos quadros eram pintados sempre em tons de vermelho e branco, cores predominantes do prato.

COQ-AU-VIN

Coq-Au-Vin - Imagem:  Cellar MaisonCoq-Au-Vin – Imagem: Cellar Maison

Um dos pratos típicos da França, tem origem antes mesmo da própria França. O General Vercingetórix, chefe dos Gauleses (primo primeiro do Asterix por parte de mãe), lutou contra as tropas romanas durante anos. Os romanos não querendo admitir o fracasso em dominar a Gália, resolveram fazer um acordo com o líder dos rebeldes. Vercingetórix pediria rendição e os romanos deixariam a Gália sem dominá-la. Com escassos recursos e já a beira do colapso, o conselho popular gaulês aceitou a proposta dos romanos e deu a seu general o aval para que este pudesse selar o acordo de paz. Afim de mostrar que embora estivesse se rendendo, mas jamais fora vencido, Vercingetórix enviou ao Imperador Júlio César um galo de briga de presente (um dos símbolos nacionais da França nascia ai. Quem gosta de futebol como eu, já deve ter visto na camisa da seleção francesa um Galo. O galo representa exatamente este momento da história). Júlio César enviou então um outro presente ao General Gaules, três tinas cheias do melhor vinho que os romanos encontraram naquela região. Simbolizando o acordo entre ambos, o galo acabou sendo cozido no vinho dando origem ao GALO AO VINHO, ou em bom francês…COQ-AU-VIN.

GOULASH

Goulash - Imagem: Village FeastGoulash – Imagem: Village Feast

É um ensopado originário dos campos húngaros às margens do rio Danúbio. Naquele tempo, os camponeses e os pastores de ovelha, ficavam durante a maior parte do inverno cuidando dos rebanhos de ovelhas no campo. Para se alimentarem e manterem os pastores aquecidos, as mulheres criaram este prato altamente nutritivo, rico em sabores e um dos mais conhecidos sabores típicos da Hungria. A receita leva entre outras coisas carne bovina, cebola e páprica que é uma pimenta local