Lesões em Corredores

Saiba principais *lesões* “corredores da moda”

corrida2

Como sair de uma vida sedentária, para vida de *atividade física* de forma saudável… Sem ser uma moda de momento.

Procure um profissional para orientar sobre prática *esportiva *de forma segura.

Nos últimos anos o número de praticantes de corrida tem aumentado significativamente, com isso, diversas pessoas sedentárias têm encontrado na corrida um esporte agradável e que lhes proporciona bem estar, porém, ao sair de uma vida sedentária para uma vida de atividade esportiva frequentemente podem surgir algumas lesões.

Fatores como obesidade, excesso de* treinamento, vestimenta inadequada para o esporte, solo inapropriado para a pratica esportiva e método de treinamento* inadequado influenciam decisivamente no aparecimento destas lesões.

É importante para o corredor saber quais são as lesões características do esporte para não subestimar qualquer dor que possa surgir durante um treino ou prova. E, como acontece em muitos casos onde a lesão é diagnosticada de forma tardia, pode provocar um tempo maior de tratamento e às vezes até o afastamento por* longos períodos* do esporte.

As principais lesões encontradas na corrida são:

Tendinites: Geralmente as tendinites em corredores acometem o tendão calcâneo (Aquiles). São processos inflamatórios no tendão que liga o tríceps sural (panturrilha) ao calcanhar.

Diversos fatores podem favorecer a uma tendinite de Aquiles: rotação excessiva dos pés para o interior (pronação), o hábito de utilizar demasiadamente a região posterior do calcanhar.

A inspeção da sola do calçado de corrida pode mostrar onde a área do calcanhar está mais desgastada, o encurtamento dos músculos posteriores da coxa e da panturrilha e arcos plantares acentuados a contração dos tendões de Aquiles e as deformidades do calcanhar.

Mas é importante saber que mesmo as pessoas que não apresentam as alterações biomecânicas citadas, podem também adquirir uma tendinite caso não use tênis apropriados para corrida e, para seu tipo de pé (pronado, supinado ou neutro) ou que realizem treinamento excessivo e falta de descanso.

As tendinites em corredores também podem ser patelares e poplíteas (região posterior do joelho).

Periostite Tibial: Muitas vezes algumas pessoas, durante o inicio de seu treinamento principalmente depois de longo tempo sedentário, começam a sentir dores na parte anterior da perna (canela), isto está relacionado ao excesso de peso, a longa ausência de práticas esportivas ou excesso de treinamento.

As periostites ou canelites são mais frequentes em atletas que correm em terrenos duros utilizando calçados com baixa capacidade de absorção de impacto. É causada por uma excessiva vibração do Periósteo (camada mais superficial do osso), levando a sua inflamação.

A musculatura da panturrilha retraída e o músculo tibial anterior fraco; assim como alterações mecânicas do pé e problemas circulatórios locais podem ser algumas causas da periostite.

Fascite Plantar: Inflamação da fáscia plantar (tecido fibroso que liga o calcanhar aos dedos). Geralmente se manifesta através de dor matutina na “planta do pé” que surge na primeira pisada ao sair da cama e melhora ao longo do dia e provoca incomodo durante a corrida.

Retrações da fáscia plantar, pé cavo, calçado inadequado e treinamento em solos inadequados podem estar relacionados com a lesão. Em alguns casos o simples uso de palmilhas corretivas podem trazer excelentes resultados e proporcionam ao atleta, uma corrida livre de dores.

Fraturas por stress: Fraturas por estresse (ou de esforço ou por sobrecarga) são pequenas fissuras ósseas que ocorrem frequentemente em decorrência de um impacto excessivo e crônico.

Acontecem por causa de esgotamento muscular excessivo e falta de absorção de impactos acumulativos. Usar um calçado adequado, ou seja, com bom amortecimento e o descanso apropriado podem evitar este tipo de lesão.

Quando diagnosticada a fratura por stress, é necessário um repouso relativo, ou seja, o atleta pode praticar esportes desde que não tenha qualquer tipo de impacto, esportes como ciclismo e natação estão liberados.

Ao retornar para a corrida, é indicado que o atleta utilize terrenos mais leves como grama ou outras superfícies macias.

*Dor patelo-femoral: *As dores patelo-femorais podem ser decorrentes de aumento na pressão da patela (rótula) sobre o fêmur (osso da coxa) ou até mesmo por lesões da cartilagem da patela (condromalacia). É causada por má postura ao correr ou descompensação muscular.

O encurtamento da musculatura isquiotibial (posterior da coxa) e fraqueza dos músculos da coxa podem resultar em uma dor patelo-femoral (também conhecida como joelho de corredor), é muito frequente em corredores iniciantes e em atletas. A dor é acentuada quando se desce escadas ou  em corridas com terrenos em declive.

A genética também pode influenciar, por exemplo: corredores com quadril mais largo, fazendo com que o fêmur vire para dentro. Pode-se evitar esta lesão fazendo musculação, fortalecendo os músculos, ossos, tendões ligamentos, usando palmilhas e tênis estáveis.

Sempre procure  um profissional para orientá-lo durante a prática esportiva é recomendável sempre procurar um médico e um fisioterapeuta quando apresentar algum tipo de dor ou desconforto. Fique Atento!

Gostou ? Então fique ligado ! Em breve mais* dicas* e novidade aqui no Elefante Verde Morumbi.

Um Abraço do Elefante !