MEDO?

medo da morte

Andei pensando aqui comigo? Eu tenho medo de quê?

Tenho medo de agulha, de hospital, de sangue, de assombração, sobretudo tenho medo de morrer!

Na verdade, essas coisas estão relacionadas. Adorei quando ouvi Chico Anysio dizer que não tem medo de morre, tem pena!

Morro de dó de morrer?

Dia desses falei pra minha mãe:  Se eu morrer, antes de você, saiba: ?Não quero ninguém contando piadas no meu enterro, preciso das lágrimas e da saudade de cada um dos meus amigos, não quero sapatos nos pés, nem terço nas mãos, vou estar brigada com Deus, não pedi pra morrer! Quero velório longo e urna aberta. Quem quiser me tocar, pode! Coloque no meu peito a foto dos meus três filhos e a bandeira do Palmeiras. Não deixe cantar aquela música: ?No céu, no céu, com minha mãe estarei!?

Tudo acertado e nada resolvido, é que esse negócio de morrer, não entra na minha cabeça.

Em 2002, a morte quis fazer parte da minha vida: Mandou um câncer na tireoide.  Venci.

Há menos de uma semana a danada tentou me assombrar de novo! Agora, foi sorrateira, criou a suspeita de um câncer de ovário. Uma suspeita bem fundamentada, a partir de um cisto do tamanho de um limão, que deixou meu médico gago e sem cor!

Começamos os exames e hoje veio a decisão: Morte você perdeu! O tal cisto é grande, mas é bobo.

Sendo assim, sigo meu caminho, agradecendo a Deus por permitir que eu continue vivendo, a minha irmã que me amparou, aos amigos que me cercaram de carinho, ao meu amor, que ao seu modo preencheu meu coração  e sigo com a certeza de que mereço ver meus filhos crescer, meus netos nascerem, o amor encruado aflorar, que rugas terei, mais sabedoria também e mais que isso: A VIDA é dura, mas é sensacional! Viva!