Mogiano no Google Creative Sandbox

Nós conhecemos os problemas da nossa cidade e tudo que não nos orgulha tanto assim. Porém, acabamos esquecendo muitas vezes do que há de bom, e a mídia convencional, também não mostra com tanta frequência os fatos, atitudes e boas ações de Mogi.

Por isso, o Elefante decidiu valorizar o que realmente vale a pena para nós e há algumas semanas começou o ?Valoriza Mogi!? que irá toda quinta, divulgar em nossa fan page ou em nosso blog, posts que nos faça ter orgulho de sermos mogianos (ou lembrar o que esquecemos muitas vezes).

Esta semana, entrevistamos o Designer mogiano Willian Sertório, finalista do concurso Google Sandbox. Ele nos contou um pouco de suas ideias e participação.

EV: Fale um pouquinho sobre sua vida em Mogi.

Willian Sertório: Morei muito tempo em Brás Cubas e tem muito de mim do Jd. Universo, que foi onde passei grande parte da minha infância. ?Você sai do gueto, mas o gueto não sai de você?, é este sentimento que tenho de lá. Morei um tempo também em Guararema. Estudei no Sesi, na ETEC Presidente Vargas e na Universidade Braz Cubas.  Atualmente resido no alto do Ipiranga. Além disso, passei um tempo morando em São Paulo, estudei na Anhembi Morumbi, foi então que entendi o que é viver em Mogi, passando a valorizar mais minha cidade.

EV: Como foi a experiência de morar fora de Mogi das Cruzes? O que essa experiência agregou em sua vida?

*Willian Sertório: *Entrei em um choque de realidade, com uma vida completamente diferente da que tinha aqui. Tive vontade de viver mais tempo em Mogi. Muitas pessoas acham que quando você vai para São Paulo, tudo melhora, você cria uma ilusão que não condiz tanto assim com a realidade. E eu também achava isso, mas quando cheguei lá, pude sentir um pouco da outra face, vi que era uma cidade mais dura, mais difícil. E ao sentir estas dificuldades, você valoriza mais a sua cidade natal. Acredito que não há nada melhor do que conhecer novos lugares para que você comece a valorizar mais o que sempre teve.

Willian SertórioWillian Sertório na sede do Elefante Verde

EV: Sobre o concurso Google Sandbox. Geralmente as boas ideias surgem das necessidades das pessoas. No projeto para o concurso, você também passou por este processo?

Willian Sertório: Sim, aconteceu por uma necessidade minha. No tempo da faculdade fui conhecer o Bom Prato. Quando cheguei lá, vi que existiam duas opções para ter direito à uma refeição. Poderia pagar um real ou levar 10 latas de bebida para reciclagem. Achei aquilo genial, com um pensamento muito avançado, muito legal para o tempo que vivemos hoje. E pensei, e se essa estratégia fosse usada para o transporte público? Por exemplo, eu e meus amigos não temos o hábito de reciclar, então por que não unir o útil ao agradável? Foi aí que nasceu a ideia.

EV: Descreve seu projeto para nós.

*Willian Sertório: *O projeto, teoricamente, é um incentivo a reciclagem. *Não é a solução *para o transporte público, ele gira em outro eixo, é uma ideia de transformação com objetivo de plantar uma sementinha na cabeça das pessoas quanto a este assunto tão delicado. Na prática, são quiosques, onde você troca o material reciclável por vales para utilizar no Metrô, Trem e Ônibus.

EV: E de onde surgiu a ideia de participar do Google Creative Sandbox?

*Willian Sertório: *Eu acompanho o blog de um arquiteto da informação, Fabrício Teixeira, e um dos posts dizia que ele participou da construção do site. Entrei para ver o trabalho dele e quando comecei a prestar atenção no conteúdo, achei legal a abordagem do projeto que tinha como foco principal ?tirar as ideias da gaveta?.

Com este questionamento me veio à ação: colocar uma ideia que já contava para muitos amigos, mas não tinha ideia de como colocá-la em prática.

Não sabia que daria todo esse buzz, fiquei feliz com essa ?aceitação?.

EV: Você pensou no projeto visando Mogi das Cruzes ou uma cidade maior?

*Willian Sertório: *Qualquer tipo de cidade. Em cidades onde exista transporte público e demanda por reciclagem, a ideia é cabível. O que eu acredito, de coração, é que um dia o transporte seja gratuito. Mas como disse anteriormente, minha ideia não tem a pretensão de resolver o problema do transporte, mas vai ajudar na construção de um hábito.

EV: Pensando não apenas na ótima ideia, mas também na ação de tentar torna-la realidade, gostaria de deixar um recado para quem está lendo essa entrevista?

*Willian Sertório: *O que eu vejo em nossa geração é a falta de visão, de tentar enxergar soluções além de problemas, olhar para um terreno baldio e imaginar as várias oportunidades que poderiam estar ali. Pensar que ali poderíamos ter um parque, por exemplo, um centro de recreação, entre outros.

Se você analisar, as grandes ideias são absurdas no começo, mas depois de realizadas fica sempre uma sensação de ?como não pensei nisso antes?. Mas é porque quem pensou, teve a capacidade de pensar além de um problema, como disse anteriormente.

Então fica o convite de treinar nosso lado criativo, só assim faremos a diferença em nossa cidade.

CLIQUE AQUI PARA VER O PROJETO DE WILLIAN