Mulheres são a chave para o crescimento econômico do Japão

japas

O Japão sempre foi um dos países mais machistas do mundo, por anos as mulheres cuidavam apenas das tarefas de casa, e as poucas que se aventuravam a trabalhar fora, eram relegadas a papéis com pouca relevância na estrutura da empresa. Cargos de liderança, nem pensar.

Somente por volta da década de 1970, que as japonesas começaram a ingressar mais ativamente no mercado de trabalho, e hoje são peças chave para a economia.

O Escritório do Gabinete do governo japonês sua nova estratégia de crescimento. O plano considera as mulheres peça-chave para impulsionar a economia do país e define políticas para facilitar a sua entrada no mercado de trabalho.

O mundo também vem exortando o Japão a promover o poder feminino na sociedade. Com a diminuição da população economicamente ativa no país (entre 15 e 64 anos de idade), um aumento nas taxas de emprego de mulheres poderia incentivar o crescimento do Produto Interno Bruto. O governo não deveria considerar somente a população feminina como força de trabalho, mas também tentar aproveitar as suas ideias.
japs2A Agência de Pequenas e Médias Empresas do Ministério da Indústria lançou no ano fiscal de 2013 um programa de estágio para donas de casa entre 30 e 40 anos de idade. Uma agência de empregos analisa as necessidades de pequenas e médias empresas e envia trabalhadoras de acordo com suas habilidades. No ano fiscal de 2013, mais de 3000 mulheres trabalharam como estagiárias em empresas, e o número de trabalhadoras efetivadas passaram dos 1300.

O Banco de Desenvolvimento do Japão vê as ideias das mulheres e seus pontos de vista como essenciais para o crescimento do país. O banco organiza competições de propostas de novos negócios com empresárias, oferecendo assistência financeira e outros para as vencedoras.

O resultado da campanha não poderia ser melhor, várias propostas foram encaminhadas, com idéias excelentes. Uma das ganhadoras tem uma empresa que projeta, produz e vende suéteres artesanais em Kesennuma, cidade atingida pelo desastre no leste do Japão em 2011. A empresária começou seu negócio após a tragédia como uma fonte estável de renda para a comunidade. Ela escolheu as roupas feitas a mão por causa do costume local de fazer suéteres para pescadores.

A  capacidade da sociedade de facilitar o acesso ao mercado de trabalho para mulheres é fundamental para o sucesso das políticas econômicas do premiê Shinzo Abe, conhecidas como Abenomics.

Recentemente, um legislador da Assembleia Metropolitana de Tóquio, membro do Partido Liberal Democrático, teve que se desculpar por comentários machistas. Durante sessão da assembleia, ele gritou ?você deveria se apressar e casar logo? para uma parlamentar de outro partido que questionava as políticas de apoio a mulheres. O fato destas palavras terem sido proferidas em uma assembleia mostra a falta de entendimento em relação a políticas que aumentem o poder das mulheres.

A sociedade japonesa como um todo, incluindo homens, empresas e comunidades locais, precisam mudar suas maneiras de pensar a questão.