Novo do Pink Floyd? Só que não...

Pink Floyd -The Endless RiverPink Floyd -The Endless River

Mais pela indigência da produção musical neste ano de 2014, e menos por seus próprios méritos, sobretudo se considerarmos que se trata de um trabalho de 1994, derivado de um material rejeitado do álbum Division Bell, The Endless River, o último trabalho do Pink Floyd (e último em todas as conjecturas, já que Nick Mason e David Gilmour anunciaram que é o ponto final da discografia de uma das mais icônicas bandas da história do rock) está entre os melhores lançamentos deste ano.

É um apanhado de várias vinhetas que representa, de certa forma, um resumo da produção do rock progressivo. Há ecos de Soon, do Yes, em TBS 9, há ecos…de Pink Floyd.

Os fãs da banda vão reconhecer os climas, as menções (uma faixa se chama Autumn ´68, claro, uma referência à clássica Summer ´68, composta por Richard Wright e presente no álbum Atom Heart Mother, de 1970.), os teclados e guitarras conversando com intimidade, representando uma homenagem justa e saudosa ao tecladista Rick Wright, que morreu em decorrência de câncer em 2008.

A única faixa com letra, Louder Than Words, é a responsável por dar ao Pink Floyd o último registro radiofônico possível, e o faz com honestidade. Dá para ligar ao passado glorioso da banda que fez história sem maiores controvérsias.

Destaque para as faixas Louder Than Words (em alta rotação na Univali FM desde seu lançamento), Allons-y (1) e Allons-y (2)