O MAR celebra a Cidade Maravilhosa

Nesse ano de comemorações pelo aniversário de 450 anos do Rio de Janeiro, é extensa a programação cultural que fala da Cidade, de sua história, sua gente, suas ruas e praças. Nessa temática também embarcou o MAR, Museu de Arte do Rio, que fica na Praça Mauá, exemplo já ativo da tão falada revitalização da Zona Portuária do Rio.

[caption id="attachment_2472" align="alignnone" width="557"]A arquitetura do MAR, na Zona Portuária do Rio, já é uma atração em si A arquitetura do MAR, na Zona Portuária do Rio, já é uma atração em si[/caption]

Lá encontra-se uma exposição que fala da cidade e que vem fazendo muito sucesso, “Tarsila e mulheres modernas no Rio”. Envolvendo trabalhos de Tarsila do Amaral e de outras artistas, a mostra reúne desenhos, fotografias, pinturas, esculturas, gravuras, instalações, documentos, material audiovisual e objetos pessoais de nomes como Anita Malfatti, Maria Martins, Djanira, Maria Helena Vieira, Zélia Salgado, Lygia Clark e Lygia Pape. A vida e a obra de Tarsila serviram de base para a exposição, que conta com mais de 200 peças, sendo que vinte e cinco pinturas e dez desenhos estão em uma sala dedicada exclusivamente a Tarsila, com foco para as obras que retratam paisagens do Rio, onde a paulistana morou. A mostra vai até 20 de setembro, mas não deixe para os últimos dias!

[caption id="attachment_2473" align="alignnone" width="558"]O Lago, uma das 35 obras de Tarsila do Amaral em exposição O Lago, uma das 35 obras de Tarsila do Amaral em exposição[/caption]

Também sobre o Rio é a mostra “Um fotógrafo humanista no Rio (1940-1960)”, que vai até 9 de agosto. Na exposição são reunidas duzentas fotografias do austríaco Kurt Klagsbrunn, com obras que nos mostram um período histórico de muitas renovações na paisagem da cidade, e aborda seus símbolos mais significativos e suas transformações. O artista, que chegou à cidade em 1939 como refugiado da Alemanha nazista, acaba desenvolvendo na Cidade Maravilhosa sua vocação para a fotografia. Não demorou muito a se transformar em um excelente intérprete da cidade, criando uma obra abrangente que consegue reunir as singularidades da sociedade carioca da época.

[caption id="attachment_2474" align="alignnone" width="560"]Karl Fotografia do austríaco Karl Klagsbrunn[/caption]

Uma última, mas não menos interessante, atração do MAR é a exposição “Rio setecentista, quando o Rio virou capital” que vai até maio do ano que vem. A Mostra é um extenso passeio visual abordando de 700 peças, entre objetos, documentos, artefatos religiosos, ilustrações, e obras de arte contemporânea, assinados por variados artistas, incluindo Augusto Malta, Debret, Adriana Varejão, Pierre Verger e Rugendas. A exposição foi montada para comemoração dos 450 anos da nossa cidade, e aborda muitos fatos históricos relevantes como a execução de Tiradentes, a descoberta das minas de ouro no país, as invasões francesas, e claro, a transferência da capital do País para o Rio de Janeiro, como anunciado no título. Vale conferir!