Por que meu dente dói tanto?

Muitos dos pacientes que chegam às clínicas odontológicas em Porto Alegre fazem a mesma pergunta: Doutor, porque meu dente dói tanto?

De uma forma bem simples e direta, mas muito esclarecedora, vamos tentar explicar este acontecimento que traz muito sofrimento ao paciente e como devemos tratar.

Para compreendermos as origens e os mecanismos da dor de dente, primeiramente precisamos entender quais as estruturas que constituem o dente e os tecidos bucais envolvidos. Este órgão é formado por 3 tecidos: O esmalte, a Dentina e a polpa.

O esmalte dental é um tecido muito resistente formado por prismas e cristais; Já a dentina é formada por túbulos dentinários, também é rígida e tem comunicação direta com a polpa; A polpa, também chamada de “nervo do dente”, é a parte sensitiva nela que a dor vai acontecer.

As estruturas de suporte envolvidos com o dente são: cemento, ligamento periodontal e osso.

O cemento é uma fina camada protetora que envolve a raiz;
O ligamento periodontal é uma fibra semelhante a da pele (colágeno), que envolve todo o dente;
E o osso, é a estrutura de suporte mais importante. Sem ele, toda estrutura fica frouxa.

Quando algum desses tecidos é agredido, pela doença cárie, doenças da gengiva, traumas, uma inflamação é gerada, e com ela, a dor aparece!

A Cárie dentária é a principal causa da dor de dente, pois ela afeta diretamente o nervo, levando a inflamação (pulpites), podendo evoluir para necrose pulpar (“morte do dente”) necessitando, muitas vezes, de tratamento de canal.

Esta doença tem como principal agente causador as bactérias (placa bacteriana) e está muito ligada a dieta do paciente (ingestão de açúcares). Com a produção do substrato bacteriano, ocorre uma queda do Ph da boca e o dente começa a ficar enfraquecido (processo de desmineralização).

Se não houver a escovação (Higiene oral) com creme dental fluoretado e fio dental, este dente perde muito mineral e aparece um pequeno buraco que se não tratado aumenta, causando dor.

Em estágios iniciais o dentista realiza a remoção da cárie e uma restauração. Mas quando não tratada precocemente, a cárie gera uma inflamação na polpa, evolui para uma pulpite e causa tanta dor que o paciente relata não conseguir dormir, os remédios não apresentam mais efeito, há dificuldade em se concentrar, causando uma diminuição da sua qualidade de vida.

Nas pulpites, o dentista realiza um exame clínico com auxílio de testes específicos e radiografias para obter um diagnóstico preciso, auxiliando para o tratamento correto. No entanto, geralmente neste caso, o tratamento de canal deve ser realizado.

Outra patologia que causa dor é a sensibilidade dentária. Nela a dor é provocada principalmente por bebidas geladas. Na sensibilidade, o esmalte dentário deixa de proteger o dente e, com isso, a dentina e o cemento ficam expostos aos agentes agressores (ao frio, ao toque) causando um incômodo ao paciente.

A proteção do esmalte pode ser perdida por várias formas: Desgaste, doenças gengivais, cárie e fraturas. O tratamento para a sensibilidade deve ser avaliado pelo profissional Cirurgião Dentista, identificando a causa e orientando o melhor tratamento, já que possui causas diversas.

Com isso, a grande dica que o corpo clínico do Pronto Socorro Dentário 24h gostaria de passar neste pequeno informativo é que se a Higiene Bucal (escovação com pasta fluoretada + fio dental) é realizada diariamente e se não houver ingestão exagerada de açúcares, o principal agente causador das dores será combatido e os dentes só vão trazer alegrias aos pacientes.