Recordando Dublin - Cap: 5 - O Aniversário

200797<em>120348018041530</em>1039760_n

Eu já conseguia andar com mais facilidade pela cidade e era gratificante passar quase que diariamente por um dos mais importantes pontos turísticos de* Dublin: a *St. Patrick’s Cathedral. Era raro o dia que eu passava lá em frente e não tinha ninguém tirando foto.

Nesse meio tempo começaram as minhas aulas de inglês e eu estava bem ansioso para começar a ter um contato diário com pessoas de outros países e culturas.

Nossa, como é bom você ir para o outro lado do planeta, chegar na sua sala de aula e conhecer gente de tudo quanto é lugar do… Brasil. Pois é, brasileiros, muitos. Nunca achei que ia escutar tanto português numa sala de aula* na Irlanda. Mas pelo que reparei não há muita escapatória, a brasileirada está espalhada em grande quantidade pelo mundo. Deve ter uns 2 bilhões rodando por aí.

St. Patrick’s CathedralSt. Patrick’s Cathedral

E para deixar esses primeiros dias de Irlanda mais animados, o meu aniversário estava chegando. Seria uma ótima oportunidade para fazermos a primeira festa no nosso ap.

Porém, existia um problema: eu tinha chegado em Dublin há poucos dias e não conhecia quase ninguém. Então quem chamar para a festa? Eu, Raoni e Léo fizemos uma força-tarefa, chamamos praticamente todo mundo que conhecemos nessas primeiras semanas, principalmente o pessoal das escolas. Muitos confirmaram.

A expectativa de nós três era ótima, tudo estava pronto e checado para a festa: casa limpa, sala arrumada, som alto, luzes piscando, geladeira cheia, cerveja gelada, petiscos na mesa. “Bora beber que hoje a noite promete!”

Prometeria se tivesse aparecido alguém…

Pra não ser injusto, apareceram dois colegas que logo se tornaram grandes amigos. Quando o fracasso já era uma realidade, resolvemos ir beber num pub e tentar salvar a noite. Eu, principalmente, queria beber bastante.

A balada acabou sendo muito boa e consequentemente meu aniversário também. Eu mal podia imaginar que esse era só o início das bebedeiras de março, afinal de contas Chatuba e o St. Patrick’s Day estavam chegando…

Cheers

  • Isso acontece nas escolas mais baratas. Em algumas, praticamente não há alunos de outros países, só brazucas. Se você quer estudar inglês na Irlanda e não quer ter tanto contato com brasileiros, terá que gastar uma quantia maior de dinheiro (bem maior na verdade). Quanto melhor (e mais cara) a escola, menor a chance de encontrar conterrâneos tupiniquins.