Recordando Dublin - Cap: 6 - O Banho e a Chegada

dublin_2

– Bora ir em algum pub hoje?

– Animo. Sair de casa uma 21 horas?

– Boto fé. Todo mundo deve começar a tomar os banhos umas 20hs… então acho melhor eu ligar o boiler agora.

– Que horas são?

– 18hs.

– Verdade, liga isso logo pra dar tempo de esquentar pra todo mundo.

Tomar banho na Irlanda* requer todo um planejamento. Isso ocorre porque boa parte das residências não possuem chuveiro elétrico, a água é esquentada pelo boiler, que segundo o Google tradutor significa tanto “caldeira” como “depósito de água quente”. O tempo para a água esquentar varia, depende principalmente do tipo de boiler e da estação do ano. No verão com 20 minutos a água está boa para um banho, no inverno demora entre 40 minutos e uma hora (nos dias realmente muito frios).

Os dias e semanas iam passando e com isso começávamos a perceber e nos acostumar com as pequenas coisas do dia-a-dia que eram diferentes. O pão de forma, por exemplo, tem praticamente o dobro do tamanho do pão no Brasil. O que para mim era ótimo, já que no frio eu tenho muito mais fome. A comida, seja um miojo, algo congelado ou até mesmo um lanche na rua, muitas vezes vem apimentada, o que eu também achava maravilhoso.

Cozinhar requer todo um cuidado já que os fogões são elétricos. A princípio achamos a novidade muito legal, já que o fogão era muito bonito, mas na prática vimos que essa beleza tinha um preço. Não podíamos de jeito nenhum deixar a panela na boca após o uso, mesmo com ela desligada, afinal o calor permanecia lá e perdemos uma certa quantidade de arroz por causa disso.

foto-fogao-eletrico-13

Mas não havia boiler, pão de forma, pimenta ou fogão que nos fizesse esquecer que o St. Patrick’s Day (17 de março), a maior festa da Irlanda, estava próximo. Além disso, nosso amigo Chatuba estava para chegar, o que deixaria a trupe finalmente completa. Era dia 15 de março quando fomos ao belo aeroporto de Dublin buscá-lo. O número de pessoas chegando impressionava, fazendo com que o frio na barriga aumentasse e, consequentemente, o ânimo pra festa.

Aeroporto de DublinAeroporto de Dublin

Chatuba chegou. Abraços, saudações, perguntas de como foi a viagem, ônibus, reclamações do frio, casa. A sede era grande e com ela a necessidade de uma cerveja. Na verdade umas cervejas…

Planos, sonhos, expectativas, viagens… os assuntos foram vários, mas tudo pra tapar o sol com a peneira. Independente do tema ninguém conseguia esquecer que o St. Patrick’s estava chegando…

Cheers

  • É claro que exagerei. Nas casas onde existem boilers, eles ficam ligados durante todo o dia (ou na maior parte dele), fazendo com que sempre tenha água quente. Nós, imigrantes sem dinheiro, ligávamos ele o mínimo possível para economizar. Ou talvez nunca paramos para ler o manual e  assim entender perfeitamente como ele funciona.