Se você não foi recrutado por Headhunter ou por Indicação, Esqueça.

Empregos: Agências de Recursos Humanos, Headhunters ou Indicação?Empregos: Agências de Recursos Humanos, Headhunters ou Indicação?

“Nos Estados Unidos você não procura por emprego, o emprego procura por você” diz artigo do The Wall Street Journal. E no Brasil?

Um artigo publicado no site de notícias Quartz sob o título “If you weren’t head-hunted or referred, it’s hardly worth applying for that new job” (algo como “Se você não foi recrutado por headhunter ou por referências, não vale a pena se candidatar para um novo trabalho”) me chamou a atenção para este tópico que, aparentemente, é uma verdade também no Brasil.

O estudo analisado no artigo acima, o qual foi inclusive também abordado no conceituado The Wall Street Journal,  é de autoria do escritório de São Francisco do Federal Reserve Bank (o Banco Central norte-americano),  e diz que “a maioria das pessoas que começam um novo emprego não foram procurá-lo. Em vez disso, o recrutamento e referências formam a base da maior parte das novas contratações.”

O estudo vem de um suplemento mensal onde milhares de residências são pesquisadas que foi conduzido nos anos de 1995, 1997, 1999, 2001, sendo a mais recente em 2005, o que apesar de mostrar não ter uma frequência definida e dos dados não serem tão recentes, não invalida suas conclusões, sendo que os próprios analistas acreditam que esta tendência do “emprego achar as pessoas” tenha se acentuado após a crise financeira de 2007/2008, cujos reflexos ainda se fazem sentir na economia mundial.

Uma das conclusões mais interessantes deste estudo é que aproximadamente 75% daqueles que mudaram de empresa não estavam procurando por nova oportunidade ou um novo emprego; ou seja, aqueles que mudaram de emprego foram selecionados e convidados pelos seus novos empregadores.

Não encontrei dados estatísticos e nem mesmo estudos específicos sobre o mercado de trabalho no Brasil que abordasse este tópico, porém, empiricamente, não é difícil perceber que nossa realidade não está muito distante desta tendência. Mesmo empregos operacionais e administrativos de nível médio na hierarquia das empresas que são anunciados através das agências de empregos e de recursos humanos, sofrem grande influência das indicações. Já para as posições de alta gerência e acima, ou mesmo que requeiram certas especializações técnicas, o recrutamento é quase que totalmente através de indicação (dos próprios funcionários da empresa, fornecedores ou mesmo clientes), ou via headhunters contratados para este fim. E mesmo que as empresas ou os headhunters contratados por elas, anunciem as vagas abertamente, o item de desempate com mais peso certamente será a indicação..

Portanto, jamais descuide de cultivar e ampliar seu network. Além de abrir portas em todas as suas atividades profissionais, ele vai ser seu passaporte para futuras oportunidades de trabalho.