TRÂNSITO SAUDÁVEL!?

No Dia Nacional do Trânsito achei válido escrever sobre um assunto que já pensava em comentar há algum tempo.

Faz parte de nossa cultura a realização de campanhas de segurança no trânsito, sobre uso de cinto, controle de velocidade, e sobre consumo de álcool, mas acho que chegou a hora de começarmos a discutir a nossa saúde no trânsito!

Antigamente só conhecíamos o estresse no trânsito, digo engarrafamento, em grandes capitais, mas de um tempo pra cá já faz parte do dia-a-dia dos motoristas de cidades de médio-porte conviver com pequenos engarrafamentos.

Mas antes fossem somente as situações de trânsito lento que esquentassem nossos nervos!

Hoje, a educação e o respeito no trânsito, ou melhor, a falta destes, está nos levando a desequilíbrios de comportamento que certamente irão refletir em nossa saúde, podendo chegar a comprometer nossa segurança.

As pessoas que dirigem muito, ou cuja atividade faz parte da função do trabalho, são as que mais podem sofrer (além de sobrecarga em coluna, sedentarismo etc). Digo podem, pois muitos já desenvolveram estratégias de controle pelo fato de ter de conviver.

Esquecemos também que cada vez mais pessoas idosas estão habilitadas a dirigir. Traduzimos isso em menos reflexo, menos habilidade e? nenhuma pressa!! 

É lógico que seria importante que as pessoas com pouca habilidade no trânsito ou sem horário a cumprir se preocupassem em ficar na faixa da direita, quando possível.

Afinal, respeito e educação são qualidades complementares na vida. Uma pessoa educada tende a respeitar o próximo, e vice-versa.

E quando colocarmos em prática estas qualidades no trânsito, iremos colher um melhor equilíbrio físico e mental. Basta atitude para viver com saúde!

Um abraço,

Rafael Piacenti