Três dicas para o pai, o filho e as emoções

Muitos homens se acostumaram a ouvir a frase ?homem que é homem não chora? na infância e cresceram tentando controlar suas emoções a qualquer custo. Este ?controle? pode gerar desconforto emocional por vários anos, podendo limitar o homem na demonstração de suas emoções. Uma das consequências desse modo de ser e agir costuma se expressar na velha atitude dos pais, de achar que deve existir uma palavra certa na hora certa, de pai para filho ou filha.
Essa constatação me levou a aproveitar o mês de agosto e a celebração do Dia dos Pais, dedicando-me a escrever um artigo sobre o campo das emoções, com foco na relação entre pais e filhos.

Assuntos mal-resolvidos entre muitos pais e filhos são muito comuns e por isso estou abrindo uma janela para um possível entendimento entre o Pai, o Filho e a Emoção. Amem!
Três dicas:

1.Que tal refletir mais profundamente sobre a sua relação pai e filho/a? Dependendo da reflexão?BOOM! Abre a mente para uma possível conversa de pai pra filho ou filho pra pai.

2.Que tal agir em relação a uma melhoria no seu relacionamento, de qualquer parte da infância ou fase adulta? Talvez aproveitar o Dia dos Pais para conversar com aqule que tanto ama, de coração pra coração? Caso tenha algum incidente mal-resolvido em sua mente, proveniente de experiências passadas, bote pra fora de uma maneira serena (não explosiva), senão estraga tudo.

3.Que tal se você for pai perguntar a seu filho se quer brincar ou jogar ou contar piada? E se você for filho favor escolher um presente que toque de verdade o coração do velho.

Aproveita a oportunidade que a vida esta te dando agora, isso pode mudar sua vida e/ou a de seu pai!
Sua parceira nas emoções bem resolvidas,

Lygya Maya