Vivendo e aprendendo a JOGAR!

A vida é sim um jogo. Parece uma frase clichê, mas não é.

Quando a gente nasce começa a jogar. Jogamos no escuro, sem conhecer as regras, os macetes, mas temos os nossos tutores, pais, irmãos, avós, tios, enfim pessoas que jogam ao nosso lado. Difícil mesmo é crescer e dar de cara com um tabuleiro de Banco Imobiliário, você e os adversários.

Dia desses pensei em voz alta, não aguento mais essa fase de ?Banco imobiliário?. Uma amiga perguntou: Como assim?

Respondi: Ah? Nos últimos dias, jogo os dados achando que vou andar pelo menos quatro casas e ando uma!

Ou para piorar: Ando algumas boas casas e o tabuleiro diz: Volte duas casas e fique uma rodada sem jogar. Tem aquela situação ainda pior: Você foi para a cadeia e ficará fora do jogo por duas rodadas, só sairá depois de pagar fiança. Ah, vá!

Tem a fase das hipotecas, o dinheiro vai indo todo para o banco? Taxas e mais taxas. No meu caso, já contei aqui, se preciso for, meu pai ajuda, a irmã ajuda todo mês e quando chega a hora de pagar a gente paga, fica aliviado, mas sabe que o jogo continua e que se a sorte não virar já já estaremos recorrendo aos empréstimos?

Claro que o jogo não é só grana e não é só sorte, é tudo!

Amor, trabalho, saúde, família, amigos? Mas mesmo sabendo que jogar não é fácil, prefiro o risco, prefiro viver e aprender a jogar! Escolhi isso e sei que um dia darei as cartas, noutro aprenderei algo novo, sabendo que sempre haverá o risco de perder tudo ou quase tudo.

Vitórias e derrotas isso é viver!