Vou chamar o Síndico

Mazola Tenca : O Gestor de CondomíniosCom a confirmação da anunciada verticalização das moradias em Itajaí, em vista dos problemas decorrentes das enchentes em 2008, 2010 e 2011, paralelamente ao rápido crescimento econômico da cidade e da região da foz do rio Itajaí, uma nova categoria surge com bastante força na cidade – a dos Síndicos Profissionais, ou Gestores de Condomínios. O chamado síndico morador caminha para a extinção. Para cuidar do seu patrimônio os moradores estão buscando esse novo profissional no mercado de trabalho.

O Elefante Verde Itajaí, entrevistou o Professor e Sindico Profissional Mazola TencaO Gestor de Condomínios, sediado aqui em Itajaí, para nos contar um pouco da sua experiência. Confira como foi a nossa conversa.

EV-Itajaí-SC: Obviamente, que o Senhor não nasceu Síndico Profissional. Poderia nos contar um pouco da sua experiência?

O Gestor de Condomínios: Tenho 52 anos e minha trajetória profissional começou em 1977 quando conquistei meu primeiro emprego registrado em carteira. Na área administrativa, naquela época, todos os adolescentes começavam como “Office Boy” ou contínuo, como se chamava o cargo. Fui contratado no Banco Auxiliar S/A na cidade de São Paulo. Lembro como se fosse hoje, que, naquela época, já começava a mobilizar umas das competências mais importantes para o mundo do trabalho – a comunicação. Todos os dias quando chegava à escola perguntava aos colegas: “Alguém sabe onde estão precisando de um ‘boy”? “Até que um dia, alguém respondeu.”

EV-Itajaí-SC: Quanto tempo durou essa sua estreia como bancário?

O Gestor de Condomínios: Trabalhei como bancário, de 1977 a 1985. Passando por alguns departamentos e promoções, não deixei escapar as oportunidades para desenvolver mais algumas competências como Planejamento, Organização e Expertise, fundamentais para o bom desempenho das minhas funções. Em 1981, optei por cursar Matemática, na faculdade, com o objetivo de, posteriormente, investir na área de Análise de Sistemas – o “boom” da época. Porém, em 1984 o setor financeiro foi atingido por uma séria crise, me levando a trabalhar no BCN e, posteriormente, no Banco Itamarati, que possuíam filosofias muito distintas do “Auxiliar”.

EV-Itajaí-SC: E quanto a sua experiência na iniciativa privada. Você teve uma passagem pela área de vendas, certo?

O Gestor de Condomínios: Em 1986, com o Plano Cruzado, minha vida profissional mudou radicalmente. Fui contratado por uma indústria de circuitos impressos, para atuar na área comercial. Iniciei como assistente de vendas, depois, vendedor técnico e supervisor de vendas. Mais uma vez percebi que o rol de competências – Comunicação; Trabalho de Equipe; Flexibilidade; Expertise; Organização, Planejamento e Liderança –, eram as ferramentas necessárias para atingir as minhas metas.

EV-Itajaí-SC: Nessa época o Brasil entrava na era dos Planos Econômicos e passou por grandes crises financeiras e políticas. Como foi a sua passagem por esse período? Difícil, né?

O Gestor de Condomínios: Sim! Sem dúvida! Após o Plano Collor (as coisas não estavam nada boas para mim nem para boa parte do povo brasileiro), resolvi, então, tirar da gaveta o meu diploma de Licenciatura em Ciências com Habilitação em Matemática e entrar para o mundo educacional, lecionando na rede pública estadual de São Paulo por pouco tempo devido à mudança de residência aqui para Itajaí.

EV-Itajaí-SC: Em Itajaí a sua maior vivência, por mais de uma década, é na Educação Privada. Um espaço bem desafiador. O que você destacaria desse período?

O Gestor de Condomínios: Trabalhei, por algum tempo, na área comercial de uma empresa de representação comercial, e em escolas públicas da região, como professor. Ingressei em 1996 num grande Colégio da rede particular, onde atuei como professor, coordenador disciplinar e coordenador de gestão, até julho de 2007. Durante este período me especializei nas áreas de Psicopedagogia, Gestão de Pessoas e Gestão Empresarial, atuando, como professor, em todas as áreas, até hoje.

EV-Itajaí-SC: E a experiência no Primeiro Setor – o Estado. Empregado do cidadão sob gestão de políticos. Valeu a pena?

O Gestor de Condomínios: De 2009 a 2012 estive no poder público atuando como diretor numa das Fundações da prefeitura de Itajaí. Acredito, com o meu exemplo, ter dado a minha contribuição à municipalidade. É um período muito curto para permitir qualquer realização transformadora. Contribuiu para fechar um ciclo de gestão.

EV-Itajaí-SC: E aí, por fim, você chega a Gestão de Condomínios e então reabre o ciclo de gestor?

O Gestor de Condomínios: Por aí… Em 2013, voltei a lecionar e a buscar novos horizontes; e, como nada é por acaso e nunca é tarde para novos desafios, assumi como síndico do condomínio onde moro. Sem perder as competências de vista, busquei aprofundar meus conhecimentos na área, quando me deparei com “a figura” do Sindico Profissional e a Administração de Condomínio no curso da Shadai Consultoria, com o Professor Sérgio Craveiro, reconhecendo nele pessoa com vasto conhecimento na área, além de excelente professor. Hoje, me apresento ao mercado como “O Gestor de Condomínios”, por ter reconhecida capacidade para gerenciar os entraves pertinentes a um condomínio residencial e comercial, e por acreditar possuir as competências necessárias para isso: Comunicação; Trabalho de Equipe; Flexibilidade; Expertise; Organização, Planejamento e Liderança.

EV-Itajaí-SC Valeu, Professor Mazola. Muito obrigado por esta oportunidade. Sucesso e fique a vontade para deixar uma mensagem final para os nossos leitores.

O Gestor de Condomínios: Estou mais experientes e cada vez mais preparados para atender bem e com um diferencial que é a gestão com foco na redução de custos, que é “o fantasma” dos condôminos. Agradeço pela oportunidade e por todo o apoio que o Elefante Verde Itajaí tem me entregue. Sucesso para vocês também.